Bitcoin está morrendo? Essa métrica atingiu um novo recorde histórico

16/12/2019


A maioria das pessoas se refere apenas ao preço do Bitcoin para avaliar a saúde das principais criptomoedas. Se houver uma venda brutal, os críticos rapidamente assumem que o ativo digital está morrendo. Uma pequena alta do Bitcoin e quase todo mundo já está tuitando sobre a compra de uma Lamborghini.

Certamente, o preço é um marcador visível do pulso de um ativo. Mas a capitalização de mercado do Bitcoin é tão pequena em comparação com outros ativos tradicionais que seu preço geralmente flutua bastante. Um grande comprador ou vendedor pode facilmente ditar o momento da criptomoeda.

É por isso que, para o Bitcoin, há outro indicador de saúde do mercado: endereços com qualquer saldo. E, apesar da recente baixa da criptomoeda, essa métrica atingiu um novo recorde histórico.

Da alto de mais de 28,38 milhões de endereços com saldo em janeiro de 2018, a métrica caiu para cerca de 22 milhões em julho de 2018. Essa queda nos diz que muitas pessoas se livraram de seus BTCs durante o auge do mercado em baixa.

Desde então, a métrica mostrou sinais de recuperação e começou a subir no início deste ano. Recentemente, ultrapassou o recorde de janeiro de 2018, uma nova alta histórica de 28,39 milhões de endereços BTC detentores de qualquer saldo.

O investidor Alex Thorn explicou que esse ponto de vista tem suas limitações, principalmente porque uma carteira pode ter vários endereços e um usuário pode ter várias carteiras. Assim, seria impreciso equiparar o número de endereços ao número de usuários de Bitcoin.

 

No entanto, ele também explicou que muitos usuários armazenam seus fundos em exchanges e em plataformas de custódia. Esses serviços podem usar vários endereços para proteger as moedas dos clientes. Portanto, um endereço pode conter os fundos de centenas ou milhares de usuários.

No final, ele concluiu que a métrica não é perfeita, mas oferece uma estimativa decente do número de usuários de Bitcoin. O crescimento no número total de endereços BTC com qualquer saldo pode ser visto como positivo para a adoção da criptomoeda. É provável que o Bitcoin seja fundamentalmente mais saudável se o suprimento de BTC estiver espalhado por mais endereços.

O aumento da métrica também pode indicar acúmulo. O crescimento no número de endereços de Bitcoin também coincide com a explosão de endereços inativos.

Quase 12 milhões de BTC não se movem há um ano ou mais.

 

A sincronicidade desses dois eventos aponta para a acumulação. Isso sugere que as pessoas compraram e armazenaram seus BTCs nos últimos 12 meses, daí o crescimento de endereços mantendo saldos.

Além disso, parece que essa tendência está crescendo, mesmo que o preço do Bitcoin tenha caído. Isso pode ser um indicador de alta.

Isenção de responsabilidade. A Universidade do Bitcoin não endossa nenhum conteúdo nesta página. Embora tenhamos como objetivo fornecer a você informações importantes do mundo das criptomoedas, os leitores devem fazer sua própria pesquisa e análise antes de tomarem quaisquer decisões e assumir total responsabilidade por elas, nem este artigo pode ser considerado como um conselho de investimento.

 

Semana dos ganhos exponenciais com bitcoin
UMA MINA DE OURO EM SUAS MÃOS


COMENTÁRIOS