R$ 100 bilhões em criptomoedas foram declarados à Receita entre agosto de 2019 a fevereiro de 2020

07/09/2020


Os usuários brasileiros de Bitcoin e criptomoedas negociaram quase R$ 100 bilhões em criptoativos segundo um relatório da Receita Federal. No total, no período citado foram reportados à Receita Federal um total de R$ 99.753.543.138 em movimentações com criptomoedas. Somente em agosto de 2019, nas exchanges nacionais, foram negociados, R$ 43.076.237.804,06.

"Em razão de todo o exposto, é razoável esperar que a última versão das informações ora divulgadas tenha divergência quando comparada com a versão imediatamente anterior. Pois a última sempre levará em consideração as declarações em atraso e as retificadoras entregues entre uma consolidação e outra", destacou a Receita Federal no relatório.

Os números chamam a atenção para o potência do mercado nacional de criptomoedas que teria, em média, cerca de 100 mil usuários negociando criptoativos todo mês em todas as plataformas nacionais. Segundo dados, com exceção do mês de agosto, em todos os demais a movimentação dos brasileiros em exchanges no exterior é maior do que a movimentação em plataformas nacionais.

Somente em plataformas no exterior, de setembro de 2019 a fevereiro de 2020, as empresas reportaram R$ 28.196.181.186 em negociações com Bitcoin e criptomoedas, enquanto as plataformas nacionais teriam negociado R$ 18.363.711.472.

Outro dado que chamou a atenção foi a movimentação fora das exchanges, entre vendedores p2p e mesas de OTC no qual, foram reportados à Receita Federal, R$ 8.073.799.596 em movimentações.

Os dados reportados a Receita Federal dizem respeito apenas às movimentações nas exchanges e, portanto, não estão computados dados da XDEX, e dos fundos baseados em criptomoedas aprovados pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e operados pela Hashdex, BLP, QR e Vitreo.

No entanto, embora os números revelem um grande mercado para o Bitcoin e as criptomoedas no Brasil, ele ainda é 'pequeno' no cenário global do mercado de criptoativos, tendo em vista que, segundo dados do Coinmarketcap, apenas nas últimas 24h, a Binance, uma das principais exchanges do mundo, negociou R$ 76.442.848.008,68 (em todo os seus produtos de criptoativos) volume quase maior em apenas um dia do que todo o volume das empresas brasileiras (reportados a Receita) em 7 meses.

O volume das negociação de Bitcoin e criptomoedas no Brasil chamaram a atenção não apenas da Receita Federal mas também do Ministério da Economia que está de olho nas movimentações e acredita que ela também deve pagar imposto.

Em dezembro do ano passado, já com parte deste números em mãos, o secretário da Receita Federal, José Tostes revelou que o tema das criptomoedas foi debatido durante as reuniões do Conselho de Política Fazendária (Confaz) que discute os termos da reforma tributária proposta pelo Ministro da Economia, Paulo Guedes.

Segundo ele, o Bitcoin, as criptomoedas e o que vem sendo chamado de 'economia digital', devem ser tratados como prioridade na Reforma Tributária e não podem ficar de fora dos debates, já que representam um volume significante de negociações no país, tendo em vista que, no período até agora mapeado, os dados não ficaram abaixo da casa dos Bilhões.

A proposta de tributação para as transações digitais não conta com o apoio do Presidente da República, Jair Bolsonaro, que afirmou que não haverá a criação de um novo imposto. Porém Paulo Guedes é contrário ao presidente e já afirmou por diversas vezes que é fundamental para o país tributar as transações digitais.

Fonte: cointelegraph

Isenção de responsabilidade. A Universidade do Bitcoin não endossa nenhum conteúdo nesta página. Embora tenhamos como objetivo fornecer a você informações importantes do mundo das criptomoedas, os leitores devem fazer sua própria pesquisa e análise antes de tomarem quaisquer decisões e assumir total responsabilidade por elas, nem este artigo pode ser considerado como um conselho de investimento.


COMENTÁRIOS