Cardano: a criptomoeda de 3° geração

02/06/2021


Cardano é uma plataforma criada em 2015 por Charles Hoskinson, co-fundador da Ethereum, e possui um projeto bastante ambicioso. Seu objetivo é unir as melhores características e funcionalidades de todas as criptomoedas existentes no mundo, resolvendo problemas e oferecendo novas soluções para as moedas digitais.

O projeto é definido como a terceira geração de criptomoedas. Neste raciocínio, o Bitcoin seria a primeira geração, o Ethereum a segunda, e a Cardano a terceira geração.

A ideia é servir como um meio de pagamento alternativo em países que têm dificuldade de acesso a bancos. Para isso, um de seus focos é melhorar a velocidade com que as transações são feitas.

Além disso, a Cardano foi a primeira criptomoeda baseada em uma metodologia científica. Isso trás mais força para seu código, que é avaliado e revisado por uma grande equipe de pesquisadores, cientistas e desenvolvedores.

Portanto, ela tenta resolver alguns problemas, entre eles: escalabilidade, interoperabilidade e sustentabilidade. 

A escalabilidade trata da quantidade de transações que uma rede é capaz de realizar. Quando se possui um alto n° de transações, seja na rede do ethereum ou na do bitcoin o esforço e o gasto de energia que os nós validadores tem para processar essas transações é muito alto.

Na rede Cardano isso acontece de maneira diferente, pois os validadores são escolhidos para trabalhar em grupo de transações. Portanto, não é necessário que toda a rede valide essas transações. Assim, torna-se possível que um número muito maior de transações possam acontecer muito mais rápido na rede cardano.  

Então, o que temos são redes gigantescas com várias sub redes de validadores que vão resolvendo esses blocos dentro dessa rede maior, que é a rede da Cardano

E a interoperabilidade se refere a comunicação das criptomoedas, ou seja, atualmente, existem várias criptomoedas que já conseguem se comunicar uma com a outra, porém sempre com o uso de um intermediário que fica fazendo essa ponte entre essas duas blockchains. E a Cardano tenta eliminar esse intermediário, fazendo com que essas blockchains consigam se comunicar diretamente entre elas. 

E, se isso se concretizar, se conquista o objetivo principal das criptomoedas, que é eliminar intermediadores como o governo e as instituições

Por fim, a sustentabilidade é outro problema que ela tenta solucionar, isto é, a Cardano possui um fundo chamado de “fundo tesouro” e sempre que ocorre uma transação na rede da Cardano, uma pequena comissão é retirada dessa transação e é depositada dentro desse fundo.

E esse valor vai se acumulando dentro desse fundo e sempre que for preciso parte desse valor é recolhido do fundo e é utilizado para o constante aperfeiçoamento da rede da blockchain Cardano. 

Por: Sophia Müller

Isenção de responsabilidade. A Universidade do Bitcoin não endossa nenhum conteúdo nesta página. Embora tenhamos como objetivo fornecer a você informações importantes do mundo das criptomoedas, os leitores devem fazer sua própria pesquisa e análise antes de tomarem quaisquer decisões e assumir total responsabilidade por elas, nem este artigo pode ser considerado como um conselho de investimento.


COMENTÁRIOS