Banco do Japão inicia testes da moeda digital do Banco Central

03/07/2020


O Banco do Japão (BoJ) quer digitalizar o dinheiro, mas resta saber se o Japão pode alcançar a China, que já começou a testar sua própria CBDC. Esta é a primeira vez que o BoJ revela que iniciaria um processo de prova de conceito com o Iene digital, mas o Banco ainda não revelou um cronograma.

Em um relatório chamado Obstáculos Técnicos para a CBDC, o Banco declarou que "verificaria a viabilidade da CBDC sob perspectivas técnicas, colaboraria com outros Bancos Centrais e instituições relevantes e consideraria a introdução de uma CBDC".

Em fevereiro, surgiram notícias de que os Bancos Centrais da Grã-Bretanha, zona do euro, Japão, Canadá, Suécia e Suíça anunciariam um plano de colaboração na pesquisa de moedas digitais.

Principais obstáculos

Em seu relatório, o BoJ considera dois grandes obstáculos técnicos: acesso universal e resiliência. O primeiro refere-se a fornecer acessibilidade a todos, incluindo aqueles sem smartphone. Surpreendentemente, de acordo com o Nikkei, a partir de 2018, apenas 65% dos japoneses têm smartphones. O BoJ disse: "É importante desenvolver a CBDC para estar disponível para uma variedade de usuários".

"Resiliência" refere-se à disponibilidade offline quando a energia elétrica está inativa. O BoJ enfatizou a importância da acessibilidade em qualquer tipo de ambiente, mesmo em situações de emergência como um terremoto.

O BoJ também está considerando se deve ou não usar o blockchain para uma CBDC. Um sistema centralizado tem o mérito de "ter grandes capacidades e velocidade de transação rápida", mas todo o sistema pode cair repentinamente se houver um único ponto de falha.

Por outro lado, as CBDCs baseados em DLT podem superar um único ponto de falha e mostrar resiliência, mas requerem uma quantidade maior de tempo para realizar transações, pois as redes blockchain exigem consenso entre vários validadores.

O BoJ concluiu:

Tanto os tipos centralizados quanto os descentralizados têm prós e contras. […] No caso de transações massivas para casos de uso de varejo em países avançados, é melhor adotar o tipo centralizado. [...] No caso em que a quantidade de transações é limitada, a resiliência e as possibilidades futuras são priorizadas e há espaço para considerar o tipo descentralizado.”

Em abril, o Yuan digital da China foi testado nas cidades de Shenzhen, Chengdu, Suzhou e Xiongan.

Fonte: cointelegraph

Isenção de responsabilidade. A Universidade do Bitcoin não endossa nenhum conteúdo nesta página. Embora tenhamos como objetivo fornecer a você informações importantes do mundo das criptomoedas, os leitores devem fazer sua própria pesquisa e análise antes de tomarem quaisquer decisões e assumir total responsabilidade por elas, nem este artigo pode ser considerado como um conselho de investimento.


COMENTÁRIOS