Taxa de hash do Bitcoin triplica desde 28 de junho em recuperação da síndrome da China

25/08/2021


A taxa de hash (hashrate) para a rede Bitcoin teve uma recuperação notável desde o colapso após a operação de mineração de cripto na China no início deste ano.

O hashrate Bitcoin já ultrapassou 150 Exahashes, ou um quintilhão de hashes, por segundo, de acordo com dados do provedor de análises CryptoQuant.

Em 24 de agosto, o provedor de métricas relatou um hashrate de 152 EH/s, que triplicou desde que atingiu o nível mínimo este ano em 28 de junho em 52 EH/s.

A recuperação do hashrate BTC significa que a rede é muito mais segura e mais difícil de atacar.

O hashrate médio do Bitcoin - a quantidade de poder de computação na rede - atingiu um recorde histórico de 197,6 EH/s em 13 de maio, de acordo com o Bitinfocharts. Ao longo das seis semanas que se seguiram, ele caiu mais de 65% conforme as plataformas de mineração em toda a China foram desligadas para a “grande migração de mineradores”.

A métrica agora está se aproximando dos níveis do início de junho e, se a tendência continuar, pode atingir um novo recorde histórico nos próximos meses.

No início de maio, foi relatado que já havia evidências de que o hashrate estava se afastando da China. Detalhes sobre a migração são difíceis de obter: o "mapa de mineração" da Universidade de Cambridge não foi atualizado desde abril, quando relatou que 65% do hashrate residia na China.

Medir dados de hash por pool de mineração também é impreciso, pois muitos pools são uma mistura de poder de hash de instalações físicas e mineradores de todo o mundo agrupando recursos de computação.

Como o hashrate agora se recuperou, isso indicaria que a migração do minerador está quase completa. Isso resultou em um aumento na dificuldade, com o último aumento de cerca de 7% ocorrendo em 13 de agosto. O próximo é devido a qualquer momento agora, o que significará maiores custos computacionais para os mineiros à medida que mais das operações anteriormente baseadas na China vierem de volta online para competir por blocos. A estimativa atual é de um aumento de dificuldade de 12,37%.

Enquanto as operações de migração estavam offline em junho e julho, as mineradoras que já operavam em países como os Estados Unidos conseguiram obter lucros maiores devido à menor dificuldade.

Esta semana, foi informado que a empresa de mineração dos EUA Riot Blockchain anunciou receita recorde para a mineração BTC durante o segundo trimestre.

Fonte: Cointelegraph

Isenção de responsabilidade. A Universidade do Bitcoin não endossa nenhum conteúdo nesta página. Embora tenhamos como objetivo fornecer a você informações importantes do mundo das criptomoedas, os leitores devem fazer sua própria pesquisa e análise antes de tomarem quaisquer decisões e assumir total responsabilidade por elas, nem este artigo pode ser considerado como um conselho de investimento.


COMENTÁRIOS