Corporação bancária multinacional holandesa está trabalhando em um projeto de empréstimo DeFi

12/11/2021


A corporação bancária multinacional holandesa ING começou a colaborar com a autoridade financeira da Holanda na utilização de finanças descentralizadas.

Annerie Vreugdenhil - Chief Innovation Officer do ING - falando em um painel de discussão, o CIO elogiou o ambiente regulatório acolhedor de Cingapura. Conforme relatado na semana passada, a Autoridade Monetária de Cingapura não tem planos de banir o Bitcoin. Além disso, o líder do banco central de Cingapura mostrou abertura para a inovação da moeda estável.

“Em outros lugares, trabalhamos com caixas de proteção que os reguladores possuem”, disse Vreugdenhil. “Na verdade, temos em Amsterdã agora uma iniciativa sobre DeFi em empréstimos P2P, onde estamos começando a trabalhar com o regulador.”

Aparentemente, o banco tem planos de testar seu projeto de empréstimo DeFi usando a sandbox da Autoridade do Mercado Financeiro (AFM). O AFM sandbox é um portal regulatório holandês para produtos financeiros inovadores. Ele permite que novas empresas inovem no espaço sem sobrecargas indevidas das autoridades.

Um porta-voz do ING afirmou mais tarde que nenhuma proposta concreta havia sido desenvolvida para o regulador. No entanto, o banco já confirmou que o Bitcoin e outras criptomoedas "voláteis" não serão compatíveis com o projeto.

“O que é interessante para nós é como você provavelmente pode criar empréstimos ponto a ponto ou abrir recursos de empréstimo com diferentes tipos de garantias. Portanto, com diferentes maneiras de fazer isso, em vez de Bitcoin volátil ”.

Fonte: binance
 
Isenção de responsabilidade. A Universidade do Bitcoin não endossa nenhum conteúdo nesta página. Embora tenhamos como objetivo fornecer a você informações importantes do mundo das criptomoedas, os leitores devem fazer sua própria pesquisa e análise antes de tomarem quaisquer decisões e assumir total responsabilidade por elas, nem este artigo pode ser considerado como um conselho de investimento.

COMENTÁRIOS