Dívida global US $243 trilhões é um desastre que somente o Bitcoin pode consertar

04/04/2019


A dívida global está agora em US $243 trilhões, de acordo com um relatório do Instituto de Finanças Internacionais desta semana. Isso é um quarto de um quatrilhão.

Isso é insustentável. E é culpa de um sistema monetário quebrado e irresponsável, viciado em imprimir dinheiro e emitir crédito. É hora de admitir que precisamos de uma nova alternativa. Embora esteja longe de ser perfeito, o Bitcoin oferece uma solução viável com seu suprimento fixo e saída regulada. É hora de uma revolução.


Monitor da Dívida Global: somente no ano passado foi adicionado US $3.3 trilhões à dívida, totalizando US $243 trilhões.

 

O valor recorde é três vezes o produto interno bruto (PIB) total do mundo. Em outras palavras, é três vezes maior que o valor de todos os produtos e serviços do planeta.

O número atingiu o pico no primeiro trimestre de 2018, quando atingiu US $248 trilhões. Desde então, recuou ligeiramente. Os EUA estão entre os maiores infratores. A dívida nacional total dos EUA atingiu US $22 trilhões este ano.


 Dívida global

 

A dívida corporativa não financeira nos EUA está agora próxima de seus níveis de crise pré-2008.

 

O ciclo vicioso

 

Superficialmente, o crédito pode ajudar a estimular o crescimento. Governos, empresas e indivíduos tomam dinheiro emprestado para financiar o desenvolvimento econômico.

O problema surge quando não funciona. Quando não há crescimento suficiente, tomamos mais emprestado. E mais. Como John Mauldin escreveu na Forbes:

“Esse é um comportamento clássico de vício. Você tem que continuar aumentando a dose para obter a mesma alta… Os bancos centrais permitem a dívida porque eles acham que isso vai gerar crescimento econômico. Às vezes acontece. O problema é que eles criam dívidas com pouca consideração de como serão usadas.”

 Dívida global em 2018

 

Porque o Bitcoin é melhor

 

O fornecimento fixo do Bitcoin é um antídoto para o vício dos bancos centrais de imprimir dinheiro e incentivar a dívida.

Apenas 21 milhões de Bitcoins existirão. E eles são criados de acordo com um rigoroso ciclo de produção, regulado pela matemática. O suprimento não pode ser manipulado ou aumentado de acordo com os caprichos de qualquer governo ou banco.

Como o CEO da ShapeShift, Erik Vorhees, explica, quando a crescente montanha da dívida implodir, as pessoas irão migrar para as criptomoedas.

“Quando a próxima crise financeira global ocorrer, e o mundo perceber que organizações com dívidas de US $20 trilhões possivelmente não poderão pagá-las de volta e, portanto, deverão imprimi-las e, assim, a moeda fiat estiver condenada... observe o que acontecerá com as criptomoedas.”

 

O Bitcoin é uma alternativa viável?

 

O Bitcoin oferece um forte contraste com o sistema fiat. Em nosso sistema fiduciário, os bancos centrais criam dinheiro a partir do nada em um processo chamado de flexibilização quantitativa. Em termos simples, os bancos centrais emitem dinheiro novo e o usam para comprar títulos e ativos. Isso tem o efeito de introduzir mais dinheiro na oferta, diminuir o poder de compra do seu dinheiro e encorajar empréstimos de baixo custo.

E quando um país usa QE (flexibilização quantitativa) e baixas taxas de juros para estimular sua economia, outros inevitavelmente fazem o mesmo. Cria-se uma corrida pro buraco, onde cada país está inundando sua economia com dinheiro barato para se manter competitivo.

O resultado é uma montanha de dívida insustentável de US $243 trilhões - algo que a maioria das pessoas nem sabe que existe. É hora de um novo sistema. Como Henry Ford disse:

"Está bem o suficiente que as pessoas não entendam nosso sistema bancário e monetário, pois, se o fizessem, acredito que haveria uma revolução antes de amanhã de manhã."

 

Isenção de responsabilidade. A Universidade do Bitcoin não endossa nenhum conteúdo nesta página. Embora tenhamos como objetivo fornecer a você informações importantes do mundo das criptomoedas, os leitores devem fazer sua própria pesquisa e análise antes de tomarem quaisquer decisões e assumir total responsabilidade por elas, nem este artigo pode ser considerado como um conselho de investimento.

Fonte: ccn

 


COMENTÁRIOS