Primeira plataforma blockchain imobiliária regulamentada do mundo é lançada na Suíça

20/12/2018


Recursos tokenizados estão aqui para ficar. A corrida atual é sobre quem pode levar os produtos regulamentados ao mercado primeiro e depois quem pode obter com sucesso a adoção dos usuários. Embora vários projetos tenham tentado tokenizar os ativos imobiliários, a Blockimmo é a primeira a fazê-lo dentro dos limites das regulamentações existentes em duas jurisdições.

A plataforma Blockimmo foi lançada recentemente com duas propriedades de teste, mas elas pretendem ter imóveis listados no início de 2019.

A maneira como a Blockimmo funciona é como um vendedor de imóveis, que lista a propriedade na plataforma, junto com uma emissão de tokens que representarão as ações da propriedade. Os investidores podem, então, investir o quanto quiserem e acompanhar o progresso do crowdsale. Vários termos e limites podem ser colocados na venda. Quando a venda é concluída, cada pessoa que investiu recebe tokens representativos em sua carteira, que estão associadas a uma participação no mundo real de uma empresa de investimento em Liechtenstein.

A questão da aplicabilidade surge quando pode haver literalmente dezenas de proprietários de uma única propriedade e os tokens podem ser trocados entre carteiras à vontade. Para lidar com isso, a Blockimmo está limitando suas operações a lugares onde tem certeza de que pode ser totalmente regulamentada: Suíça e Liechtenstein. Eles pretendem se expandir para outras partes da Europa, à medida que as propriedades são listadas com sucesso e a plataforma cresce.

As propriedades que são vendidas na plataforma, no sentido legal, são detidas por uma empresa de Liechenstein, cada uma com o seu próprio subfundo. É assim que as propriedades são protegidas em um sentido real.

A Suíça é um ótimo lugar para começar um projeto como a Blockimmo por causa da organização do cadastro existente. O fundador Bastiaan Don disse:

“As propriedades que nós tokenizamos já estão designadas com o número exato de E-GRID diretamente no blockchain. Esta já é uma quantidade conhecida na Suíça e já está inscrita como tal no seu próprio cadastro centralizado. Sincronizar os sistemas seria um primeiro passo em direção a um registro de terras no blockchain.”

A grande novidade da semana passada para a Blockimmo foi que a FINMA, o órgão regulador financeiro suíço, aprovou tanto seu modelo de negócios quanto sua oferta de security token. Isso significa que eles estão totalmente livres para prosseguir com seus objetivos e não precisam se preocupar com problemas posteriores com os reguladores. As leis suíças ainda se aplicam às propriedades listadas e existentes na Suíça, e há várias restrições aos estrangeiros que investem em imóveis suíços.

A FINMA anunciou esta semana que as empresas de blockchain poderiam operar com sucesso na Suíça, com mudanças mínimas em suas regulamentações.

O projeto trouxe uma empresa jurídica chamada MME para ajudá-lo com questões legais que possam surgir, e também tem o apoio do banco, Bank Frick, cujo diretor de fundos e produtos, Raphael Haldner, comentou:

“A implementação de projetos como a Blockimmo demonstra a expertise do Bank Frick no campo de modelos e produtos de negócios digitais, bem como o nosso direcionamento inovador.”

Duas propriedades de exemplo estão listadas na Blockimmo para que o público possa ver como a plataforma deve funcionar. Espera-se que as listagens reais estejam acontecendo já no próximo mês.

Isenção de responsabilidade. A Universidade do Bitcoin não endossa nenhum conteúdo nesta página. Embora tenhamos como objetivo fornecer a você informações importantes do mundo das criptomoedas, os leitores devem fazer sua própria pesquisa e análise antes de tomarem quaisquer decisões e assumir total responsabilidade por elas, nem este artigo pode ser considerado como um conselho de investimento.

Fonte: ccn


COMENTÁRIOS