Primeiro ETF de criptomoedas na bolsa brasileira bate R$ 1 bilhão na primeira semana

06/05/2021


O primeiro ETF de criptoativos da bolsa brasileira bateu R$ 1 bilhão em captação ontem (3), uma semana após o lançamento. O patrimônio do fundo é 69% superior aos R$ 615,2 milhões captados na oferta inicial. Além disso, as cotas do produto, que estrearam negociadas a R$ 47,20, cada, estavam cotadas a R$ 55,79 após o pregão de ontem, uma alta de 18,1%. O ETF já é o terceiro maior da B3 e conta com 61,5 mil cotistas.

O Hashdex Nasdaq Crypto Fundo de Índice, com o código HASH11, se tornou uma alternativa para pequenos investidores interessados em criptomoedas, que podem acessá-lo em qualquer homebroker, o sistema de negociação das corretoras pela internet.

Até então, as pessoas só tinham acesso às moedas digitais por meio de fundos de investimentos, que cobram taxas maiores e têm percentuais máximos de exposição às criptomoedas para pequenos investidores, ou de corretoras especializadas em moedas digitais, comprando diretamente.

"Os números dessa primeira semana são um indicativo de que os investidores brasileiros buscavam ter mais essa forma de acessar os criptoativos", afirma Marcelo Sampaio, CEO da Hashdex, gestora do ETF.

Os ETFs são fundos negociados em bolsa que acompanham um índice. O produto rastreia o índice Nasdaq Crypto Index (NCI), desenvolvido pela Nasdaq, bolsa de valores nos Estados Unidos, e pela Hashdex. O ETF atualmente é composto por seis criptomoedas: bitcoin, ethereum, stellar, litecoin, bitcoin cash e chainlink.

Fonte: Valor Investe

Isenção de responsabilidade. A Universidade do Bitcoin não endossa nenhum conteúdo nesta página. Embora tenhamos como objetivo fornecer a você informações importantes do mundo das criptomoedas, os leitores devem fazer sua própria pesquisa e análise antes de tomarem quaisquer decisões e assumir total responsabilidade por elas, nem este artigo pode ser considerado como um conselho de investimento.


COMENTÁRIOS