Roubo de US $170 milhões da Bitgrail continua a oferecer drama

27/04/2018


O roubo dos US $170 milhões no início deste ano da exchange Bitgrail continua a oferecer drama, e desta vez os advogados estão envolvidos. Um processo de ação coletiva foi anunciado contra a equipe de desenvolvimento da Nano da Bitgrail, pedindo indenização e um "fork de resgate" para recuperar fundos. Em resposta, um grupo chamado Nano Foundation reagiu, insistindo que a culpa não é dos desenvolvedores, mas da própria Bitgrail, e eles estão levantando fundos em nome das vítimas para trazer seus próprios processos.

Durante o grande aumento de preços de 2017, no início de dezembro (Nano era então conhecida como Railblocks, sob o ticker, XRB), 1 XRB poderia ser comprado por US $0,20. Um mês depois, 1 XRB subiu para US $35 depois de ganhar 17.500%, tornando- se a maior gainer de 2017 e colocando o Bitcoin, Litecoin e Ripple na sombra.

De repente, a micro exchange italiana estava nadando em centenas de milhões em valor. No final de janeiro deste ano, a Bitgrail suspendeu abruptamente as negociações. Dentro de semanas, a exchange anunciou uma paralisação por tempo indeterminado devido a um “déficit” de 17 milhões XRB/Nano de uma carteira que gerenciava. Eles asseguraram que as autoridades foram alertadas.

Rumores voaram: o proprietário carismático da exchange fugiu com o saque. De fato, o núcleo Nano também faz alusão a pelo menos, má administração. A Bitgrail publicamente implorou a seus desenvolvedores que alterassem os principais aspectos do código para retornar as moedas aos usuários. O que se sabe é que 12,7% das XRB continuam desaparecidas.

Em março, a Bitgrail anunciou um retorno de 20% da Nano com os outros 80% sendo feitos em uma nova moeda, BGS, com uma condição: os usuários, ao reativarem suas contas, seriam requisitados para assinar que não iriam entrar com futuras ações judiciais contra a exchange. Não está claro quantos clientes aceitariam a oferta.

Ação conjunta e Fundo legal

Nesta semana, uma ação conjunta do cliente da Bitgrail, Alex Brola, processou quatro desenvolvedores Nano baseados no Texas. O investimento inicial de US $50 mil de Alex cresceu perto de 17 mil Nanos, segundo documentos judiciais. Seu processo começa atacando todo o projeto, definindo a Nano como uma garantia, colocando assim aqueles associados à sua venda como violando a lei de valores mobiliários dos EUA. Ele então passa a alegar que os desenvolvedores enganam os usuários da Bitgrail em quase todos os aspectos, desde a suposta integridade do próprio sistema contra hacks, até os desenvolvedores da Nano que conspiram ativamente para obterem ganhos ilícitos.

Alex Brola e a respectiva classe de vítimas estão buscando o retorno de suas moedas e investimentos fiduciários, juntamente com um “fork de resgate” obrigatório, supostamente para recuperar as referidas moedas, e uma restituição para todos os danos incorridos por eles. Eles também gostariam de uma auditoria, uma contabilidade e uma configuração de confiança para distribuição das moedas, juntamente com os honorários dos advogados pagos na íntegra.

Em resposta, um grupo que se referiu como Nano Foundation alegou que são eles que estão representando as vítimas de hack, e que um fundo legal estava sendo estabelecido para trazer uma ação contra a exchange Bitgrail. Eles detalham ter formado uma aliança com Espen Enger, um representante de quase 600 vítimas da Bitgrail na época - agora mais de 1.400, anunciando planos para ajudar a estabelecer um fundo legal.

“Tivemos uma série de discussões iniciais produtivas com o Sr. Enger. Com o tempo, ficamos confiantes de que o Sr. Enger era a pessoa mais bem preparada para administrar um fundo legal e um grande grupo de vítimas da Bitgrail em sua busca pela justiça na Itália.”

Seu objetivo declarado é ajudar os investidores menores. Eles alegam ter dobrado o fundo legal das vítimas de US $300.000 para US $600.000 em 9 de abril de 2018, enquanto “estarão combinando as contribuições das vítimas ao fundo legal estabelecido pelo Sr. Enger - incluindo doações passadas e futuras - com o objetivo de estabelecer um fundo legal total avaliado em US $2 milhões.” Eles criaram uma conta na Discord como uma maneira de acompanhar o progresso deles.


COMENTÁRIOS