Vira-lata caramelo é transformado em criptomoeda que já subiu 56.305% e movimentou R$ 18 milhões

29/03/2021


Embora o Banco Central do Brasil não tenha aceito o uso da imagem do vira-lata caramelo na nota de R$ 200, o pequeno mascote foi escolhido para ser a logomarca de uma criptomoeda genuinamente brasileira e voltada para Finanças Descentralizadas (DeFi).

Chamada de Vira-lata Finance (REAU), a criptomoeda brasileira foi apresentada ao mercado no dia 21 de março de 2021. E em menos de uma semana, o REAU teve uma valorização de 56.305%, segundo o desenvolvedor conhecido pelo apelido de ‘Galaticão’.

Assim como a Dogecoin (DOGE), a Vira-lata Finance foi concebida para ser um meme no mercado de criptomoedas. No entanto, em apenas cinco dias essa criptomoeda já movimentou quase R$ 18 milhões.

Criptomoeda brasileira Vira-lata Finance

De acordo com Galaticão, a falta de projetos DeFi no mercado de criptomoedas brasileiro colaborou para o desenvolvimento do REAU. Além da tecnologia blockchain, o desenvolvedor disse que os contratos inteligentes são indispensáveis para um projeto como a criptomoeda brasileira.

Como o REAU é uma criptomoeda descentralizada, não existem intermediários nas transações que são confirmadas através de contratos inteligentes. 

“A blockchain, rede de dados criptografados onde são processadas as transações desses tokens, funciona através de contratos inteligentes. Isso permite que qualquer pessoa do mundo faça transações sem precisar da ajuda de terceiros."



Criptomoeda usa imagem de vira-lata caramelo (Reprodução:Vira-lata Finance)

Como funciona o REAU

No total, 1 quatrilhão de unidades da Vira-lata Finance podem ser emitidas, de acordo com dados da Binance Smart Chain. Porém, até então somente 500 trilhões de REAUs foram emitidos.

Por ser uma criptomoeda descentralizada, a REAU possui um pool de liquidez que recebe uma taxa de 3% que é cobrada em qualquer transação envolvendo a altcoin. Ou seja, essa taxa será cobrada para sempre e servirá como liquidez para futuras transações.

Além disso, a Vira-lata Finance cobra uma taxa de 2% em cada transação, onde este valor é repassado para todos os detentores da criptomoeda. Com uma movimentação de US$ 3,1 milhões em menos de uma semana, a REAU pretende alcançar uma capitalização de mercado de até US$ 400 milhões.

“Esperamos seguir o caminho de criptomoedas como DOGE, que atingiram um market cap de 400 milhões de dólares. Acreditamos que nosso projeto é melhor e possui uma comunidade bem mais vibrante, assim como desenvolvedores mais competentes.”

Investimento em um meme

Mais de três mil pessoas já investiram na REAU, de acordo com o desenvolvedor galacticão. Além de brasileiros, existem usuários comprando a criptomoeda meme em outros países.

Para o desenvolvedor da criptomoeda, a descentralização do projeto permite que investidores acreditem em um meme. Com contratos inteligentes, a criptomoeda possui mais autonomia que outros projetos centralizados.

“A blockchain junto dos contratos inteligentes, que começaram na rede Ethereum, permite que tiremos o fator ‘confiança’ da equação em transações financeiras, já que uma vez na blockchain, os contratos são imutáveis. Esse é o exemplo de nosso experimento financeiro descentralizado. Como é que mais de 3 mil pessoas confiaram mais de US$ 3,1 milhões em um projeto chamado "Vira-Lata Finance"? Simples, eles não precisam confiar em ninguém.”

Futuro do projeto

Somente no grupo do Telegram, a Vira-lata Finance possui quase 5.700 membros que discutem diariamente sobre o projeto brasileiro. Embora a altcoin tenha sofrido uma correção nos últimos dias, a grande volatilidade nos preços pode continuar nas próximas semanas.

Além de criar um projeto DeFi no país, a criptomoeda meme REAU possui outros objetivos, como a expansão para outros países da América Latina, além de ajudar a causa animal, por exemplo. Em busca de propagar o projeto e aumentar o número de usuários, o REAU será divulgado em algumas capitais do Brasil.

“Os demais objetivos são gerais como ajudar animais, colocar outdoors, envolver a comunidade em um projeto totalmente descentralizado. Nesse momento, temos outdoors sendo levantados em três capitais brasileiras e pelo menos três ONG’s sendo contatadas e instruídas sobre blockchain por nossos voluntários. Nosso plano é montarmos um sistema para ajudá-los de modo sustentável.”

Listada na Blockfolio, galaticão afirma que o preço do REAU já enfrentou uma valorização de até 56.305% nos últimos dias. Apesar de o preço volátil, a cotação da criptomoeda estava competindo com o valor do bolívar venezuelano no mercado financeiro.

“O preço está ainda em fase volátil, mas gira em torno de US$ 0,00000004, competindo com o bolívar venezuelano. Segundo o site Blockfolio, houve uma valorização de 56.305%.”

Fonte: CoinTelegraph

Isenção de responsabilidade. A Universidade do Bitcoin não endossa nenhum conteúdo nesta página. Embora tenhamos como objetivo fornecer a você informações importantes do mundo das criptomoedas, os leitores devem fazer sua própria pesquisa e análise antes de tomarem quaisquer decisões e assumir total responsabilidade por elas, nem este artigo pode ser considerado como um conselho de investimento.


COMENTÁRIOS