Dogecoin: a criptomoeda que virou um meme mundial

25/07/2021


A Dogecoin é uma criptomoeda que surgiu como uma brincadeira, em 2013, ganhando a atenção de investidores.

E apesar da sua criação ser totalmente diferente das demais criptomoedas do mercado, a Dogecoin já possui um valor de capitalização de mercado bem expressivo e ainda conta com uma ativa e engajada comunidade, que busca apoiar a moeda com o intuito de valorizá-la perante o mercado. 

A Dogecoin é uma moeda digital construída a partir de um código aberto na blockchain, criada em dezembro de 2013 por dois programadores, Billy Markus e Jackson Palmer, com a intenção de desenvolver uma moeda diferente do Bitcoin (BTC).

A ideia surgiu após uma uma brincadeira, começando pelo nome, que faz referência a um meme viral que é composto por um cachorro da raça japonesa Shiba Inu. Por esse motivo, a DOGE é chamada de criptomoeda meme.

Ela funciona de forma semelhante a outras criptomoedas já conhecidas. Além de código-fonte aberto, que permite que qualquer pessoa tenha acesso gratuito, a DOGE é uma moeda descentralizada, com blockchain disponível em vários computadores e de funcionamento peer-to-peer (P2P). Sendo assim, não envolve um servidor ou autoridade central únicos para autenticar as transações.

Objetivos da Dogecoin

Um de seus objetivos iniciais, de acordo com seu próprio criador, era facilitar o acesso à tecnologia das moedas digitais e criar um ativo que possuísse um valor acessível a todos. E o outro objetivo foi mesmo de brincar com a tecnologia e o meme do Shiba, que era uma figura muito forte para a comunidade inicial da criptomoeda.

Sendo assim, a Dogecoin tem o papel principal de funcionar como uma criptomoeda, passível de ser comercializada em exchanges e utilizada para fins de investimento.

Ela não tem um limite para a produção e inserção de novos tokens no mercado, podendo ter um número infinito de criptoativos em circulação. Tudo isso faz com que a Dogecoin seja uma boa opção para pequenas transações, mas extremamente arriscado para investidores.

E ainda, a Doge oferece transações rápidas e com custo de transação muito baixo também, ou seja, o principal uso dessa cripto é para fins especulativos nos investimentos mesmo. E você também pode utilizá-la para transferir quantias de dinheiro, em busca de aproveitar a rapidez e custo acessível das transações.

Diferenças para Bitcoin

As taxas representam uma das diferenças vantajosas da Dogecoin frente ao Bitcoin

A criptomoeda meme também é melhor que o Bitcoin em tempo de confirmação de transação. Enquanto a principal moeda digital do mundo leva dez minutos para obter uma confirmação, a Dogecoin realiza o procedimento em apenas um minuto.

Outra diferença positiva para o Bitcoin está na quantidade de unidades disponíveis. A Dogecoin tem mais de 130 bilhões de moedas em circulação e sua oferta é ilimitada, o que significa que ela poderá ser minerada para sempre. Já o Bitcoin tem oferta máxima definida em 21 milhões de unidades, algo visto como positivo para o preço, uma vez que a escassez tem o potencial de valorizar um ativo com alta adesão.

Maneiras de investir em Dogecoin

Corretora

A primeira forma de investir em Dogecoin (DOGE) é também o meio mais seguro e confiável, através de uma corretora.

Neste caso, a corretora realiza todo o processo de intermediação das transações entre as partes envolvidas, além de disponibilizar sua própria carteira virtual para armazenamento das suas criptomoedas. Também oferece uma interface mais completa, com outras opções de moedas, diferentes tipos de operações e dados  importantes que podem ajudar o trader a ter um investimento de sucesso.

Tokens

A segunda forma é por meio do protocolo Proof of Work, no qual você é recompensado com unidades DOGE, pela validação das transações. Similar ao que ocorre no processo de mineração das demais criptos, porém de forma mais simplificada e acessível, como vimos acima.

P2P

A outra maneira é por meio do processo P2P, peer-to-peer, que é basicamente uma forma realizar transações diretamente com a outra parte envolvida, não se faz o uso de um intermediário, como uma corretora. O risco deste tipo de transação é que não há garantias de que você receberá seus tokens ou seu dinheiro, uma vez que a relação entre as partes é puramente na base da confiança.

Por: Sophia Müller

Isenção de responsabilidade. A Universidade do Bitcoin não endossa nenhum conteúdo nesta página. Embora tenhamos como objetivo fornecer a você informações importantes do mundo das criptomoedas, os leitores devem fazer sua própria pesquisa e análise antes de tomarem quaisquer decisões e assumir total responsabilidade por elas, nem este artigo pode ser considerado como um conselho de investimento.


COMENTÁRIOS