Empresa Soluna está apostando em um parque eólico de 900MW no deserto do Saara para minerar Bitcoin

03/09/2018


À medida que a mineração de Bitcoin se torna mais popular, o custo elétrico para executar a operação está causando uma série de problemas para as comunidades locais e grupos ambientais.

A Soluna, uma empresa de computação que usa energia renovável para alimentar seus sistemas, quer compensar a emissão de carbono da mineração de Bitcoin construindo uma infraestrutura de computação blockchain movida pelo vento do deserto do Saara.

Desde o seu lançamento, o blockchain tem sido um desafio para o setor de energia, pois o Bitcoin já consome muita energia. A Digiconomist reporta que a operação de mineração usa aproximadamente 71 terawatts-hora (TWh) por ano, o equivalente a 10% do uso anual de energia da China. Também usa tanta energia quanto a Irlanda e a Áustria. Devido ao alto consumo de energia da atividade, os mineradores estão continuamente procurando por lugares onde a energia seja barata.

De acordo com seu comunicado de imprensa, a Soluna irá desenvolver uma usina de energia eólica de 900MW no Marrocos, que será combinada com as instalações de computação privadas da empresa para alimentar o blockchain de uma maneira sustentável e ecologicamente correta.

A Soluna pretende construir 36 megawatts de capacidade até 2020 e espera criar os 900MW nos próximos cinco anos.

A empresa quer trazer integrações verticais para o ecossistema blockchain, concentrando-se em usinas de energia renovável. O novo parque eólico no Marrocos deverá ser uma operação autossustentável, e a Soluna pretende se integrar à rede em meados de 2019.

John Belizaire, CEO da Soluna, disse que a visão da empresa é impulsionar o “blockchain limpo” e com a “energia renovável” que a Soluna “detém e controla”.

“A Soluna atenderá à crescente demanda por energia para impulsionar as atuais redes blockchain crescentes e criará o primeiro “nó de serviço" do mundo, fornecendo computação de alta densidade para futuras redes blockchain."

A Soluna está apostando na onda de mineração de criptomoedas, que espera continuar no futuro e cuja lucratividade depende dos custos de energia usados para a operação. À medida que mais sistemas e aplicativos avançam para o blockchain, a Soluna espera impulsionar a próxima onda de tecnologias e redes fornecendo energia verde e renovável para atender às “demandas em evolução” do ecossistema e “em conformidade com as regulamentações locais”.

Isenção de responsabilidade. A Universidade do Bitcoin não endossa nenhum conteúdo nesta página. Embora tenhamos como objetivo fornecer a você informações importantes do mundo das criptomoedas, os leitores devem fazer sua própria pesquisa e análise antes de tomarem quaisquer decisões e assumir total responsabilidade por elas, nem este artigo pode ser considerado como um conselho de investimento.

Fonte: ccn 


COMENTÁRIOS