Gigante de serviços financeiros do Japão lança exchange de criptomoedas

04/06/2018


A gigante de serviços financeiros do Japão, SBI Holdings, anunciou que sua exchange de criptomoedas já entrou em operação. O serviço chamado "VCTRADE" está aberto para os cerca de 20.000 usuários pré-cadastrados na plataforma em outubro de 2017, com planos de abrir aplicativos de conta comum em julho de 2018. A Ripple (XRP) é atualmente a única moeda digital suportada. A SBI afirma que em breve suportará Bitcoin (BTC) e Bitcoin Cash (BCH) também.

A nova plataforma de negociação adotará o sistema de transações da NASDAQ (matching system). As taxas de transação serão declaradas como zero, embora as retiradas estejam sujeitas a cobranças. A SBI também disse que vai cooperar com o SECOM Group na preparação de um sistema de segurança de gerenciamento de carteira de criptomoedas.

Como enfatiza o comunicado de imprensa da SBI, o lançamento de sua exchange está em andamento há algum tempo. O conglomerado revelou seus planos para lançar uma moeda virtual subsidiária em outubro de 2016. Em dezembro de 2017, a SBI anunciou sua parceria no projeto com a grande exchange Huobi, e antecipou o lançamento da plataforma no início de 2018.

No entanto, o inédito hack de US $532 milhões da exchange Coincheck provocou uma intensa repressão regulatória das autoridades financeiras do Japão, levando a SBI a adiar o lançamento de sua exchange para fins de melhoria de segurança. Não obstante os atrasos, o presidente da SBI afirmou com confiança que espera que a exchange "seja a número um em um piscar de olhos".

Juntamente com a VCTRADE, a SBI vem realizando este ano um teste em massa do sistema de liquidação em tempo real da Ripple em um grande empreendimento que envolve 38 bancos, juntamente com pelo menos mais 23 envolvidos em testes mais amplos de remessas blockchain. A maioria dos bancos participantes são supostamente baseados no Japão, ostensivamente devido à “bem estabelecida” rede Ripple no país.

A SBI também comprou recentemente uma participação de 40% na CoolBitX, empresa taiwanesa de carteira de hardware de criptomoedas.

Fonte: cointelegraph


COMENTÁRIOS