O crescente interesse do antigo presidente da CFTC pelo Bitcoin e blockchain

24/07/2018


Em uma entrevista recente ao Wall Street Journal, o ex-presidente da Comissão de Negociação de Futuros de Commodities (CFTC) dos Estados Unidos, Gary Gensler, reconheceu seus estudos e o crescente interesse pelo Bitcoin e pela tecnologia blockchain .

Logo depois de ter que lidar com uma década inteira da crise financeira que se instaurou na economia dos Estados Unidos, efetivamente impactando quase todos os grandes bancos em Wall Street, Gary foi submetido à crescente popularidade da tecnologia disruptiva do blockchain .

Depois de deixar a CFTC, Gary atuou como presidente de finanças de Hillary Clinton durante a eleição presidencial de 2016. O regulador de Wall Street tem falado sobre seu interesse no blockchain várias vezes, e na sua última entrevista com o WSJ seus pontos de vista sobre a tecnologia só melhoraram.

Para expor sobre suas opiniões, Gary Gensler agora faz parte da Iniciativa de Moeda Digital do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), onde dá palestras para estudantes universitários sobre tecnologia blockchain e criptomoedas .

Embora seus pontos de vista sobre o estado atual da tecnologia blockchain e das criptomoedas sejam de natureza otimista, ele está ciente dos riscos envolvidos. Ele detalhou os riscos em termos do ritmo de seu crescimento, como evidenciado por sua experiência anterior na CFTC.

Em uma de suas palestras no MIT Technology Review, em abril de 2018, Gary é citado por ter dito:

“A SEC e os reguladores precisam trazer clareza. Muitas criptomoedas estão operando fora das leis dos EUA.”

Ele é da opinião de que a Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC) e a CFTC podem trabalhar de mãos dadas na regulação e detecção de casos de fraude relacionados ao blockchain . Este passo é crucial neste ponto, devido ao fato de que o blockchain diminui custos e riscos em níveis significativos e fornece estabilidade atraente e vários níveis, se regulamentados de forma responsável.

Na entrevista, Gary mencionou:

“No final dos anos 90, eu fazia parte do amplo consenso de que certas coisas, como os mercados de derivativos, não enfraqueceriam a estabilidade financeira. Mas adivinhe, aconteceu. Por fim, abordamos isso como uma nação e a incluímos no envelope de políticas públicas.”

Gary assumiu a responsabilidade de regular os momentos de crise, como lidar e resolver o fiasco da crise financeira global de 2008. A consequente notoriedade que o blockchain , o Bitcoin e outras criptomoedas trouxeram parece ser a única coisa com que ele tem algum interesse em liderar neste momento. Isto é evidente a partir do que ele afirmou no final de sua entrevista:

"Eu não acho que vou conseguir fazer algo tão significativo quanto entrar depois de uma crise e ajudar a limpá-la."

Isenção de responsabilidade. A Universidade do Bitcoin não endossa nenhum conteúdo nesta página. Embora tenhamos como objetivo fornecer a você informações importantes do mundo das criptomoedas, os leitores devem fazer sua própria pesquisa e análise antes de tomarem quaisquer decisões e assumir total responsabilidade por elas, nem este artigo pode ser considerado como um conselho de investimento.

Fonte: ambcrypto


COMENTÁRIOS