Universidades de Stanford, Wharton e Georgetown terão aulas sobre Bitcoin

26/04/2018


A Graduate School of Business da Universidade de Stanford oferecerá um curso de criptomoedas em tempo integral a partir de maio deste ano. A nova turma surgiu após uma campanha coordenada por alunos de MBA que veem o conceito inovador como vital para suas futuras carreiras. “Muitos de nós terão que discutir blockchain em nossos trabalhos. Faz sentido ensiná-lo”, explicou o estudante do segundo ano, Itamar Orr. “Isso te dá uma vantagem competitiva; é um martelo extra na sua caixa de ferramentas.”

Um grupo de estudantes fez uma petição à liderança da escola para adicionar a turma de tempo integral, pois antes disso ela apenas cobria o campo em forma de bate-papo. Uma vez que a Universidade de Stanford abriu a turma para o registro, a demanda mais ampla foi confirmada, pois foi fechada com mais de cinquenta candidatos na lista de espera.

Susan Athey, professora de tecnologia que ministrará a nova turma, comentou à CNBC: “As flutuações nos preços deixaram todo mundo hipnotizado: como isso aconteceu? Muitas pessoas passaram por altos e baixos e isso, é claro, é excitante, atrai muito interesse e motiva as pessoas a entender o que está acontecendo”.

A Wharton School, da Universidade da Pensilvânia, também oferecerá uma aula de criptomoedas neste ano pela primeira vez. O professor Kevin Werbach disse: “Estamos no ponto em que há uma grande massa que quer aprender sobre esse domínio. Haverá um fenômeno real nos negócios num futuro previsível e, daqui a cinco anos, não haverá muitas grandes escolas de negócios que não oferecerão turmas semelhantes”.

Não são apenas os alunos que estão pedindo mais aulas, mas também a indústria. John Jacobs, diretor executivo da McDonough School of Business da Universidade de Georgetown, revelou que está “constantemente” recebendo telefonemas de Wall Street e recrutadores de empresas de consultoria dizendo: “Você precisa treiná-los. Precisamos que as pessoas entendam como aplicar a tecnologia blockchain.” Ele acrescentou que “qualquer programa de classe mundial terá que equipar os alunos nesse campo para competir, estamos nos deparando com essa tecnologia em todo lugar.”

Outras universidades localizadas em centros financeiros, como Chicago e Nova York, também recentemente começaram a responder às demandas dos alunos por educação sobre Bitcoin.


COMENTÁRIOS