Por que instituições financeiras investem em Bitcoin?

30/06/2021


 

O Bitcoin (BTC) foi saindo do anonimato por ganhar popularidade entre entusiastas da tecnologia, e, por fim, é negociado em grandes bolsas de valores de países desenvolvidos. Uma larga parte de sua trajetória foi de descrédito ou sendo ignorado por grandes instituições e investidores renomados.

No entanto, grandes players da economia global, como por exemplo o PayPal, o banco de investimentos J.P Morgan, a Square, empresa comandada pelo dono do Twitter, entre outras gigantes, têm se rendido ao lucrativo mercado do BTC.

A principal inovação do Bitcoin sempre foi que ele é a primeira aplicação prática da tecnologia Blockchain - que possibilitaria uma nova forma monetária internacional - sem arbitrariedades governamentais ou o interesse dos bancos. Com isso, esperou-se que a primeira criptomoeda teria aplicações revolucionárias para as finanças globais.

Não se pode negar, no entanto, em quase 13 anos de existência, que sua característica que mais causa entusiasmo é sua tendência a se valorizar, na maior parte do tempo, a níveis aparentemente estratosféricos.

Existem muitos motivos que dão sentido à entrada de instituições financeiras, que eram incrédulas ou avessas ao Bitcoin, a adentrarem o mercado das criptomoedas.

Veja agora algumas das razões mais comuns para isso:

Expectativa de inflação e depreciação de moedas fiduciárias

Não por acaso 2020 é um marco para a entrada de grandes players no mercado dos ativos digitais.

O momento em que o mundo enfrentou a pandemia do Covid 19, registrou atividades, por parte de alguns governos, de lançarem uma enorme quantidade de moeda estatal no mercado. Isso por fim desvaloriza o dinheiro tradicional e causa o indesejado efeito da inflação. Sabendo muito bem disso, teoricamente, grandes investidores convertem parte do seu capital para os ativos de criptografia.

Reserva de valor alternativa ao ouro

Observa-se que as gerações Z e sua antecessora estão perdendo notoriamente o interesse pelo ouro. Com isso, a demanda tem diminuído, e por perceber esse indicador, possivelmente, os investidores institucionais estão investindo no Bitcoin e levando seu preço às alturas.

Maior praticidade em transações internacionais

Transferir dinheiro para um país com moeda diferente é geralmente uma tarefa que exige no mínimo atenção e, frequentemente, paciência. Há limite de capital para esse tipo de transação e uma margem significativa de custos como o IOF, além de taxas de bancos.

O BTC propõe maior agilidade nas confirmações das transações, e praticidade para os usuários do seu sistema. O fato de evitar o máximo possível que intermediários atuem nas negociações, torna a rede mais econômica e sigilosa para pagamentos internacionais.

Além disso, a grande liquidez da moeda digital facilita a vida de quem envia ou recebe remessas internacionais de valores. Basta ter o número da carteira digital do outro par (negociante), que sem necessidade de câmbios, o dinheiro digital é transferido. Para grandes players das finanças globais, isso é uma solução imensurável.

Não perder o capital de investidores arrojados

É nítido que grande parte do capital dos mercados financeiros tradicionais migraram para o mercado de moedas digitais. O BTC sozinho capitaliza mais de US$1 trilhão.

Percebendo o potencial dos criptoativos, corretoras de valores começaram criando fundos de investimentos com perfil mais arrojado, isto é, mais disposto a correr riscos em prol de maiores ganhos, diversificando parte do capital em BTC.

Em seguida, fundos de investimentos exclusivos para criptomoedas começaram a surgir como opção nessas instituições do mercado tradicional. Até as instituições mais populares de Wall Street, referência no mundo das finanças, lançaram o Bitcoin Trust (BGTC), que explodiu de US$500 milhões para US$6 bilhões de 2020 a 2021.

Assim, os investidores institucionais podem participar do mercado de criptomoedas, tirando vantagem da inovadora blockchain, enquanto mantêm suas posições nos mercados de capitais tradicionais.  

Considerações Finais

É claro que grandes institucionais compreendem que a sobrevivência de um negócio, muito mais na época de alta tecnologia, tem a ver com estar à frente das tendências do mercado. Por isso, após refletir em todos esses fatores, e possivelmente em outros mais, não seria sábio não usufruir de alguns dos benefícios do BTC.

Com a entrada desses players no ecossistema das criptomoedas, bilhões de dólares se acumulam no Bitcoin, o mercado vai se tornando mais especializado, e a usabilidade da primeira moeda digital do mundo se expande ainda mais.

Fonte: Binance

Isenção de responsabilidade. A Universidade do Bitcoin não endossa nenhum conteúdo nesta página. Embora tenhamos como objetivo fornecer a você informações importantes do mundo das criptomoedas, os leitores devem fazer sua própria pesquisa e análise antes de tomarem quaisquer decisões e assumir total responsabilidade por elas, nem este artigo pode ser considerado como um conselho de investimento.


COMENTÁRIOS