Staking da atualização da Ethereum pode render 20% ao ano

22/06/2020


A Ethereum 2.0 se arrasta, mas, quando finalmente for lançada, poderá fornecer a "maior mudança econômica da sociedade" - ou assim é o que acreditam os especialistas. O lançamento da ETH 2.0 está previsto para julho, transformando a Ethereum de um protocolo de prova de trabalho (proof of work) para uma plataforma de staking. Depois disso, em vez de competir entre si para resolver problemas matemáticos, os usuários que acumularem mais riqueza ou participação serão responsáveis pela validação das transações.

É este desenvolvimento fundamental que alguns especialistas acreditam que poderia catalisar um grande rally para a Etherereum. Entre eles está o sócio da MetaCartel Ventures DAO, Adam Cochran. Na segunda metade de abril, Cochran compôs uma lógica de 50 tweets para a ETH 2.0, tornando uma das maiores "mudanças econômicas" que a sociedade já presenciou.

Simplificando, o estrategista afirma que uma mudança para staking - e o choque de oferta que isso pode gerar - poderiam gerar demanda.

À medida que 30% da oferta da ETH trava, a demanda aumenta. Mas o que poderia gerar um choque de oferta dessa magnitude? De acordo com Cochran, a oferta de ETH diminuirá à medida que os grandes investidores inundarem em busca de ganhos constantes. Atualmente, a taxa de retorno anualizada para o staking da ETH é estimado entre 4% e 10%. Felizmente, segundo o estrategista, os investidores geralmente buscam um retorno mínimo de 3% a 5% sobre o investimento.

O usuário poderá separar 32 ETH - a quantidade exata necessária para que os validadores participem da ETH 2.0 – para validar transações e lucrarem sobre essa quantia.

Segundo a empresa de inteligência de mercado Glassnode, atualmente existem mais de 116.351 endereços Ethereum contendo 32 ETH ou mais - um número acima de 14% em relação ao ano passado.

Em uma entrevista recente, o fundador da Ethereum, Vitalik Buterin, afirmou que uma das razões para a atualização era reduzir a emissão. Segundo Buterin, quando a ETH 2.0 for lançada, seu emissão máxima teórica será limitado a 2 milhões por ano - e isso é apenas se todos participarem. Atualmente, a emissão anual da rede é de cerca de 4,7 milhões. Indiscutivelmente, uma redução dessa magnitude é suficiente para causar um choque de suprimento por si só.

Stefan Coolican, CFO da Ether Capital Corporation, mencionou que a ETH 2.0 pode render até 20% ao ano. Ele começa explicando em seu twitter a diferença entre prova de trabalho e prova de participação. Enquanto em prova de trabalho é feito um esforço pelos mineradores, na prova de participação basta alocar tokens.  Depois ele afirma que fez os cálculos de quanto será possível lucrar com a ETH 2.0 e segundo ele, os rendimentos no início serão de 20% ao ano.

Contudo, após alguns anos, tais rendimentos ficarão entre 2% e 3%.

Ele acrescentou que as pessoas nunca imaginariam que a cotação do Bitcoin ficaria fixa na CNBC.

Desta forma, é possível que os rendimentos em provas de participação (proof of stake) sejam comparados a rendimentos de tesouros ou dividendos de ações.

Fonte: cointelegraph

Isenção de responsabilidade. A Universidade do Bitcoin não endossa nenhum conteúdo nesta página. Embora tenhamos como objetivo fornecer a você informações importantes do mundo das criptomoedas, os leitores devem fazer sua própria pesquisa e análise antes de tomarem quaisquer decisões e assumir total responsabilidade por elas, nem este artigo pode ser considerado como um conselho de investimento.


COMENTÁRIOS