Autoridade Financeira da Polônia afirma que comércio de criptomoedas é legal no país

08/06/2018


O órgão de fiscalização financeira da Polônia afirmou recentemente que o comércio de criptomoedas é completamente legal no país, de acordo com um anúncio oficial publicado em seu site em 6 de junho.

Em seu movimento recente, a Comissão de Supervisão Financeira da Polônia (KNF, na sigla em inglês) procurou esclarecer o status das criptomoedas e do trading, "reconhecendo as dúvidas jurídicas emergentes relacionadas ao funcionamento das exchanges e de seus escritórios".

A notificação da Comissão vem após a campanha orquestrada do país contra o uso de criptomoedas no país.

Em sua declaração mais recente, a KNF disse que os empreendedores não estão proibidos de operar com criptomoedas, já que não há "nenhum [...] regulamento proibindo o comércio de criptomoedas".

No entanto, a autoridade financeira observou que o governo está focado no desenvolvimento de um marco regulatório para o mercado, afim de evitar riscos por vezes associados às criptomoedas, como lavagem de dinheiro, evasão fiscal e financiamento do terrorismo.

A KNF mencionou que está planejando introduzir um sistema regulatório para o Bitcoin e as altcoins que será oficialmente lançado em 13 de julho de 2018.

No mês passado, a KNF anunciou planos para conduzir uma campanha de mídia social sobre os riscos dos investimentos em criptomoedas. Mais cedo, em meados de fevereiro, o Banco Central da Polônia admitiu ter financiado secretamente uma campanha anti-criptomoedas de US $27.000, consistindo em um vídeo do YouTube sobre um homem perdendo todo o seu dinheiro depois de investir em criptomoedas.

Aviso Legal. A Universidade do Bitcoin não endossa nenhum conteúdo nesta página. Embora tenhamos como objetivo fornecer a você informações importantes do mundo das criptomoedas, os leitores devem fazer sua própria pesquisa e análise antes de tomarem quaisquer decisões e assumir total responsabilidade por elas, nem este artigo pode ser considerado como um conselho de investimento.


COMENTÁRIOS