Instituições financeiras em uma corrida: quem trará primeiro a negociação de criptomoedas para à massa fiduciária?

11/05/2018


12 de setembro de 2017 ficará marcado pela infâmia quando se fala sobre as relações entre instituições financeiras fiduciárias tradicionais e seus pontos de vista sobre as criptomoedas. Foi o dia em que o CEO do JP Morgan, Jamie Dimon, chamou o Bitcoin de ‘fraude’ .

Muita coisa aconteceu no espaço financeiro e de criptomoedas nos oito meses seguintes a esse evento, especialmente em termos de instituições bancárias e a percepção do Bitcoin e das criptomoedas por Wall Street. Como o Bitcoin começou a criar algumas ondas nas finanças tradicionais, os "Wall Streets" foram polarizados. Alguns zombaram da ideia de moeda digital descentralizada, enquanto outros se tocaram e enxergaram seu potencial.

Tudo isso chegou agora a um ponto em que o setor financeiro está mergulhando mais do que apenas um dedinho no mundo das criptomoedas; com negociação de futuros agora bem estabelecida e especialistas em blockchain sendo contratados para todas as funções e empresas possíveis e imagináveis. Há uma corrida definida agora para os grandes bancos começarem a oferecer aos clientes a chance de negociar criptomoedas através de suas ofertas.

Goldman Sachs

Em 3 de maio, a Goldman Sachs, uma instituição financeira que deu uma virada em termos de sua atitude em relação às criptomoedas, anunciou que não acredita que o Bitcoin seja uma fraude. Isto foi uma lembrança para aquelas famosas palavras de Jamie Dimon, mas o mais importante, eles também anunciaram seus planos para começar a negociar criptomoedas.

Comentando a decisão, Rana Yared, uma executiva da Goldman Sachs envolvida na criação de ofertas, disse que o banco estava "inundado" com pedidos de clientes.

“Chama nossa atenção quando um cliente diz: 'Eu quero ter Bitcoin ou futuros de Bitcoin porque eu acho que é uma reserva alternativa de valor'”.

O caminho da Goldman Sachs para potencialmente colocar em funcionamento seu próprio sistema de balcão de criptomoedas tomou um caminho longo e sinuoso.

No início de 2014, a Goldman Sachs declarou que o Bitcoin não era uma moeda, e também disse separadamente que é muito arriscado para os investidores das empresas bancárias. No entanto, em 2017, a mesma Goldman Sachs estava começando a considerar a possibilidade de permitir que os investidores negociassem diretamente o Bitcoin, e também é um dos cinco principais investidores corporativos mais ativos na tecnologia blockchain.

Foi no final de janeiro de 2018, quando a Goldman Sachs também refutou os rumores de que eles estavam começando um balcão de negociação de criptomoedas, mas, como se vê, sua postura pode estar se abrandando.

Barclays

Há também rumores de que o banco Barclays está potencialmente abrindo um balcão de negociação de criptomoedas, mas até agora eles foram todos refutados. O CEO do Barclays Group, Jes Staley, destacou as barreiras regulatórias e de conformidade como seu maior problema, mas também declarou que esta corrida crescente está "na vanguarda da melhoria da tecnologia nas finanças":

“As criptomoedas são um desafio real para nós, porque, por um lado, há o lado inovador delas e queremos permanecer na vanguarda do aprimoramento tecnológico em finanças... Por outro lado, existe a possibilidade delas serem usadas para atividades das quais o banco não quer se envolver.”

Ainda assim, foi relatado que o Barclays está avaliando a demanda institucional por criptomoedas para determinar se o novo modelo de negócios é viável. Foi dito que para operações de criptomoedas exigiria a aprovação de Tim Throsby, CEO da Barclays International, e possivelmente de Jes Staley.

Um porta-voz do banco posteriormente emitiu a seguinte declaração: “Estamos constantemente monitorando a evolução do mercado de moedas digitais e continuaremos a dialogar com nossos clientes sobre suas necessidades e intenções nesse mercado.”

Morgan Stanley

O Morgan Stanley é outro grande banco que parece estar na corrida para abrir para operações em criptomoedas. Mais ainda, parece estar se concentrando muito em ser o primeiro a entrar no mercado. O Morgan Stanley e o Goldman Sachs têm uma rivalidade de longa data e, nessa disputa, o primeiro a ter um balcão de negociação de criptomoedas bem-sucedido seria muito aplaudido.

Há relatos de uma fonte não identificada de que o Morgan Stanley está concentrando virtualmente toda sua atenção no comércio de criptomoedas a partir de agora. A fonte de dentro do Morgan Stanley supostamente disse:

“Muitos de nós temos procurado o que poderíamos chamar de gestores de dinheiro de nível intermediário que sabemos que estão à beira de abrir fundos de cobertura focados em criptomoedas. Fizemos alguns trabalhos com fundos de criptomoedas também, mas temos nos encarregado especificamente de nos engajar com empresas que estão aptas a adicionar a seus portfólios atuais em vez de começar do zero. Eu não posso dizer quem são, pois estamos sob um acordo de não divulgação, mas você pode apostar que as coisas estão se movendo rapidamente e os negócios estão sendo atingidos. E você pode adivinhar porque. O Goldman está tomando um caminho diferente do que nós e nossas diretrizes parecem tê-los em nossa alça de mira no momento. Se formos capazes de nos engajar em uma base de 1 em 1, ao invés de por meio de terceiros [como o] Circle, então, finalmente, lideraremos no espaço”.

A fonte continua a comparar esta construção do comércio de criptomoedas com uma corrida armamentista entre os dois bancos, mas no final, eles não são os únicos que tentam alcançar o objetivo primeiro.

“Verdade seja dita que esta é a próxima corrida armamentista. Todo mundo está correndo para as criptomoedas. Todos. Não importa se é um banco, um fundo, uma empresa de fundos, uma antiga lenda que tente recuperar a antiga glória, capital privado, capital de risco, empréstimos, bolsas, empresas de consultoria - todos”.

Atingindo as bolsas tradicionais

Neste frenesi para apaziguar clientes e sua falta de criptomoedas, até o dono da Bolsa de Valores de Nova Iorque (NYSE) está considerando permitir que os clientes comprem e tenham Bitcoin. Novamente tudo é um pouco nebuloso, já que a fonte do artigo do New York Times cita “emails e documentos”, bem como quatro fontes anônimas.

O movimento da Intercontinental Exchange (ICE), dona da NYSE, é um pouco diferente em sua abordagem, já que claramente não há um caminho definido para como levar o Bitcoin às massas tradicionais.

“O ICE teve conversas com outras instituições financeiras sobre a criação de uma nova operação através da qual os bancos podem comprar um contrato, conhecido como swap, que terminará com o cliente possuindo Bitcoin no dia seguinte — com o apoio e a segurança da bolsa”, dizia o artigo do New York Times.

A NASDAQ também deu a entender que ficaria feliz em entrar de cabeça, mas apenas quando os mercados amadurecerem o suficiente para que seja viável.

A CEO da NASDAQ, Adena Friedman, disse à CNBC:

“Certamente, a NASDAQ consideraria se tornar uma bolsa de criptomoedas ao longo do tempo.”

A CEO é da opinião de que as criptomoedas não vão desaparecer, mas ainda estão longe de serem maduras o suficiente. Regulamentos e aceitação do governo são determinantes para que os gostos da NASDAQ entrem em ação.

O que a fonte do Morgan Stanley está dizendo parece ser verdade no mundo dos bancos. Não é apenas o recurso de criptomoedas que está atraindo essas instituições para tentar ser o primeiro no mercado, é o desenvolvimento da tecnologia blockchain e tudo o que pode oferecer ao mundo financeiro.

Farzam Ehsani, ex-líder de blockchain do Rand Merchant Bank e agora cofundador e CEO da VALR, disse:

“Todos os bancos estão percebendo que precisam entrar neste barco Blockchain, eu não acho que muitos bancos necessariamente entendem aonde o barco está indo, mas eles percebem que este é um desenvolvimento que está decolando e que se eles quiserem estar nessa jornada que todos estão seguindo, eles precisam estar no barco.”

Futuros liderando o caminho

Era apenas uma questão de tempo até que esses ruídos e rumores se transformassem em uma corrida de grande escala. O Chicago Mercantile Exchange (CME) e o Chicago Board Options Exchange (CBOE) que podem ser creditados com a abertura das portas para as negociações de futuros de Bitcoin.

O lançamento de seus futuros atrelados ao auge do maior rali do Bitcoin para US $20.000 e embora a aceitação inicial nos futuros de Bitcoin fosse tépida, espera-se que isso mude, pois os investidores mais avessos ao risco buscam formas mais seguras de entrar no mercado.

O CBOE está até mesmo defendendo a causa dos ETFs de Bitcoin, depois que os gêmeos Winklevoss falharam em seu intento em 2017. Dennis O'Callahan, diretor de desenvolvimento de produto do CBOE, falou em março que eles não estão parando apenas nos futuros de Bitcoin.

“Estar no desenvolvimento de produtos, nossa tarefa é procurar novos produtos o tempo todo, por isso estamos constantemente avaliando esse mercado e estamos avaliando outras criptomoedas também, entre outros itens.”

Os setores bancários correndo em direção às criptomoedas claramente se basearam na captação de interesse em Bitcoin como um ativo valioso e investível. Há evidências suficientes para sugerir que muitos investidores institucionais estão planejando se aventurar nas criptomoedas.

Em novembro de 2017, a Triad e a Datatrek Research conduziram uma pesquisa, obtendo respostas de 317 traders institucionais sobre se eles têm ou não interesse em investir em Bitcoin e outras criptomoedas.

Segundo a pesquisa, 36% dos investidores institucionais estavam considerando comprar Bitcoin, enquanto 19% já o tinham.

A chamada "corrida armamentista" para ser o primeiro a lançar um balcão de criptomoedas faz sentido, o mercado institucional de investidores está claramente ávido por uma maneira segura, regulada e familiar de se envolver com as criptomoedas.

Isso foi comprovado por pesquisas, pelo interesse em futuros de Bitcoin da CBOE e da CME e pela maneira como bancos e instituições financeiras estão metendo os pés na porta.

Não há dúvida de que quem quer que obtenha seu produto primeiro será altamente lucrativo, e se a resposta for algo como a preparação para o lançamento de futuros, o Bitcoin poderá entrar em outro grande rali.

Fonte: cointelegraph


COMENTÁRIOS