Investidores da China vão se refugiar nas criptomoedas?

15/10/2018


Desde o início de 2018, o governo da China reforçou as políticas dirigidas a investidores milionários no país que mantêm suas riquezas no exterior para evitar grandes impostos, e isso pode levar os investidores locais para ativos alternativos como as criptomoedas.

Os investidores chineses confiam na indústria bancária offshore suíça, no mercado imobiliário de Hong Kong e nos mercados acionários estrangeiros para acumular milhões de dólares em propriedades, ativos e dinheiro fora da China continental.

Mas, as autoridades financeiras locais começaram a repressão aos investidores que acumulam riquezas significativas nos mercados estrangeiros.

 

  • Os investidores irão migrar para as criptomoedas?

 

Nos últimos meses, o governo chinês começou a cooperar com agências de 83 países que seguem o Padrão Comum de Relatório (CRS) estabelecidas pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

Espera-se que o envolvimento do governo chinês com a OCDE e o CRS leve a comunicação direta e cooperação com as Ilhas Virgens, Bermudas, Luxemburgo, Suíça e Bahamas, cinco regiões das quais os investidores frequentemente dependem para economizar grandes quantidades de recursos no setor bancário exterior.

No mês passado, a China divulgou que todos os 83 países sob o CRS e a OCDE compartilharão dados relacionados a contas financeiras mantidas por cidadãos chineses, permitindo que o governo tenha como alvo investidores milionários de alto perfil.

No setor imobiliário de Hong Kong, indivíduos com base na China podem facilmente criar uma empresa fantasma em Hong Kong e receber uma conta bancária com o nome da empresa para transferir fundos da China para Hong Kong, com os quais o investidor pode investir em propriedades na região.

O influxo de investidores da China para o mercado imobiliário de Hong Kong levou os ágios de apartamentos a subir substancialmente, criando uma bolha imobiliária que tornou mais difícil para os residentes locais adquirirem propriedades.

É difícil e ineficaz para o governo chinês restringir o fluxo de dinheiro da China para o mercado imobiliário de Hong Kong, já que isso exigiria um processo altamente impraticável de cooperação dos bancos com o governo para censurar e monitorar todas as grandes transações.

Mas, é possível que a repressão do governo a investidores individuais detenha grandes quantidades de ativos estrangeiros e dinheiro em contas de poupança no exterior.

Criptomoedas como Bitcoin e Ethereum permanecem como a única alternativa fora do mercado imobiliário e de ações de Hong Kong para os investidores locais armazenarem capital significativo. A falta de correlação entre as criptomoedas e o mercado financeiro mais amplo poderia atrair os investidores como um porto seguro contra a economia global.

O executivo de uma exchange de ativos digitais de Hong Kong e Taiwan, Terence Tsang, declarou em uma entrevista que o mercado de balcão (OTC) de criptomoedas da China ainda permanece ativo após a imposição de uma proibição geral pelo governo.

"O mais recente alerta e o aumento potencial de monitoramento de plataformas estrangeiras são direcionados a um grupo de exchanges menores que afirmaram ser entidades estrangeiras, mas estão operando na China alegando que terceirizaram suas operações para uma empresa chinesa", disse Tsang.

Isenção de responsabilidade. A Universidade do Bitcoin não endossa nenhum conteúdo nesta página. Embora tenhamos como objetivo fornecer a você informações importantes do mundo das criptomoedas, os leitores devem fazer sua própria pesquisa e análise antes de tomarem quaisquer decisões e assumir total responsabilidade por elas, nem este artigo pode ser considerado como um conselho de investimento.

Fonte: ccn


COMENTÁRIOS