Nós promovemos o Bitcoin e amamos o blockchain, diz banqueiro central do Japão

22/08/2019


O Banco Central do Japão reafirmou a posição do país como um dos países mais progressistas do mundo no que diz respeito ao Bitcoin e outras criptomoedas.

De acordo com a Nikkei Asian Review, um alto funcionário do Banco do Japão afirmou que a instituição financeira está confortável com o Bitcoin, assim como com a tecnologia por trás dele. De acordo com o funcionário, a postura pró-cripto do Banco do Japão é ajudada pelo fato de o país não ter preocupações com a saída de capital.

“Por causa de seu medo de saídas de capital, os chineses veem todos os ativos financeiros como inimigos. Mas não nos preocupamos com fluxos de saída. Estamos apaixonados pela tecnologia e estamos em contato com a comunidade tecnológica.”

A publicação japonesa citou ainda a autoridade do Banco Central dizendo que “promovemos o Bitcoin, mas apenas com controles”. Embora isso possa parecer radical vindo de um banqueiro central, o Japão conseguiu usar sua visão progressista como uma vantagem, resultando em um setor vibrante. Por exemplo, o iene japonês tem sido a moeda nacional mais negociada por Bitcoin depois do dólar dos EUA por um longo tempo.

O iene japonês é usado em 20,1% de todas as exchanges que negociam moeda fiat por Bitcoin globalmente. Isto apesar do uso global do iene como moeda de reserva ser de apenas cinco por cento.

O iene japonês é a segunda maior moeda nacional negociada pelo Bitcoin

 

Entre outras novidades relacionadas às criptomoedas alcançadas no Japão, o país do extremo oriente foi pioneiro na regulamentação das exchanges de criptomoedas em nível nacional. O Japão também levou a fazer uma distinção entre as várias criptomoedas disponíveis. No ano passado, o regulador financeiro do Japão, a Financial Services Agency (FSA), indicou para todas as exchanges no país que retirassem as moedas de privacidade, como Augur, Dash, Monero e Zcash.

Algumas das ações recentes do Japão, que demonstram sua postura progressista com as criptomoedas, foi colocar criptomoedas na agenda de uma reunião do G20 em junho. O país também está envolvido nos esforços para desenvolver uma rede global de pagamentos por criptomoedas. Isso seria semelhante ao SWIFT (que é usado por bancos e outras instituições financeiras em todo o mundo), mas desta vez para criptomoedas. A iniciativa que foi discutida no mês passado pretende ser funcional em alguns anos.

Isenção de responsabilidade. A Universidade do Bitcoin não endossa nenhum conteúdo nesta página. Embora tenhamos como objetivo fornecer a você informações importantes do mundo das criptomoedas, os leitores devem fazer sua própria pesquisa e análise antes de tomarem quaisquer decisões e assumir total responsabilidade por elas, nem este artigo pode ser considerado como um conselho de investimento.

Fonte: ccn


COMENTÁRIOS
Criação