Como as criptomoedas e o blockchain estão influenciando a geopolítica

18/11/2019


O mundo está em constante mudança - e do ponto de vista econômico, as coisas estão mudando dramaticamente também. Duas grandes superpotências, Estados Unidos e China, estão envolvidas em uma dramática guerra comercial, em que tarifas sobre produtos foram cobradas sobre mercadorias - gerando incertezas para consumidores e empresas e tornando os produtos do cotidiano mais caros. O Reino Unido ainda está envolvido em um divórcio confuso da União Europeia, e a Rússia está aumentando as tensões com seus vizinhos no Ocidente.

Todo esse drama geopolítico tem dois efeitos. Em primeiro lugar, pode causar estragos nos mercados, limpando bilhões de dólares do valor das grandes empresas e afetando as taxas de emprego nas economias do mundo. Em segundo lugar, está levando alguns entusiastas a advogar apaixonadamente que as criptomoedas e o blockchain tenham um papel maior na economia. Eles dizem que isso pode ajudar a derrubar fronteiras, tornando os pagamentos internacionais mais rápidos e mais baratos, enquanto incentiva o comércio entre as nações.

Dito isto, as criptomoedas e o blockchain também estão criando novos desafios na geopolítica. A Coreia do Norte enfrentou alegações de que um sofisticado grupo de hackers está lançando ataques cibernéticos em grandes exchanges na vizinha Coreia do Sul e em outras partes da Ásia. Milhões de dólares foram perdidos, com cada incidente abalando a confiança do consumidor. A Índia também tem sido firme em sua decisão de avançar com uma proibição das criptomoedas. Isso pode ter implicações para o Facebook por exemplo, que espera lançar uma moeda estável (stablecoin) que beneficiaria os cidadãos que não possuem contas bancárias. O projeto Libra também está criando tensões em todo o mundo, com muitos países - EUA e UE entre eles - preocupados com o fato de que a criptomoeda possa minar a infraestrutura tradicional de pagamentos e ultrapassar o dólar e o euro.

Uma questão importante que está freando as criptomoedas é a abordagem fragmentada e desarticulada da regulamentação em todo o mundo. Enquanto alguns países, como a Índia, estão adotando uma abordagem mais rígida, propondo penas de prisão para quem for encontrado manipulando essas moedas e tokens, países como Japão e Canadá têm sido muito menos rígidos - incentivando a inovação, permitindo o pagamento de impostos usando Bitcoin e criando assim as chamadas "sandboxes reguladoras", onde novos produtos de criptomoedas podem ser testados por uma pequena parcela da população antes de serem lançados.

Há uma divisão real e premente quando se trata das atitudes que envolvem as criptomoedas e o blockchain. Em alguns países, há uma cautela incrível em torno dessa tecnologia em meio a temores de que ela possa ter um impacto negativo sobre os consumidores vulneráveis. Dito isto, existem políticos por aí que estão horrorizados com a atitude negativa que está sendo adotada em relação à indústria - pessoas que acreditam em seu potencial e acreditam que seu país deve estar na vanguarda da inovação.

Em parte, esse desejo de uma postura pró-criptomoedas está no medo de que certos países possam estar começando a desenvolver sua própria moeda digital através de seu Banco Central, estabelecendo um domínio inicial. Um desses países é a China - que já está pronta para iniciar uma rápida aceleração do uso de blockchain a pedido do presidente Xi Jinping.

Entretanto, prever o que o futuro reserva para as criptomoedas e o blockchain é um desafio. A China alcançará domínio e lançará uma moeda digital pelo Banco Central? A Índia será bem-sucedida em sua questão de proibir as criptomoedas? A Rússia terá sucesso em permitir a aplicação da lei para confiscar o Bitcoin, e isso é mesmo possível?

Com tantas incógnitas, as conferências ganharam popularidade como uma maneira de ouvir informações valiosas de alguns dos profissionais mais conhecidos no mercado de criptomoedas e blockchain. Assim como os eventos realizados no Brasil como BitSampa, BITCONF e CryptoBlock, entre 15 e 17 de janeiro acontecerá em St. Moritz, na Suíça, a Conferência Crypto Finance.

Os organizadores da conferência dizem que estão determinados a atender cada necessidade individual dos participantes. Para esse fim, alguns dos principais palestrantes do evento terão tempo para responder perguntas no palco e fora dele. Também são oferecidas amplas oportunidades de networking, dando aos participantes a oportunidade de se aprofundar em áreas de interesse particular e estabelecer contatos significativos.

Com as criptomoedas e o blockchain constantemente atingindo as manchetes e as batalhas sendo travadas em muitas frentes, há muito o que discutir enquanto os visionários de negócios se encontram em eventos como estes.

Isenção de responsabilidade. A Universidade do Bitcoin não endossa nenhum conteúdo nesta página. Embora tenhamos como objetivo fornecer a você informações importantes do mundo das criptomoedas, os leitores devem fazer sua própria pesquisa e análise antes de tomarem quaisquer decisões e assumir total responsabilidade por elas, nem este artigo pode ser considerado como um conselho de investimento.

Fonte: cointelegraph


COMENTÁRIOS